CONSUN avaliará proposta sobre licença médica e pagamento da gratificação de desempenho dos servidores da saúde da UPE

A Superintendência do Complexo Hospitalar da Universidade de Pernambuco vai encaminhar uma resolução para ser votada na próxima reunião do Conselho Universitário (CONSUN) para que os afastamentos por licença médica dos servidores da área de saúde não resultem em desconto da gratificação de desempenho. O CONSUN se reunirá no dia 28 de janeiro. Atualmente, só os positivados para covid-19 têm esta bonificação mantida.

A medida foi acordada após encontro na manhã desta quinta-feira (13), na reitoria da UPE, do reitor Pedro Falcão com a pró-reitora de Desenvolvimento de Pessoas (Prodep), Vera Gregório, o presidente do Complexo Hospitalar da UPE, Gustavo Trindade Filho, a diretora do Hospital Universitário Oswaldo Cruz (HUOC), Izabel Avelar, o coordenador médico do Pronto-socorro Cardiológico Universitário de Pernambuco (Procape), Pedro Casé, e a gerente de controle e avaliação do Centro Universitário Integrado Amaury de Medeiros (Cisam), Suzemires Lopes.

A suspensão do desconto terá efeito retroativo ao mês de dezembro, quando os casos de afastamento por doença aumentaram em virtude da nova onda de contaminação do coronavírus e de gripe. 

O Sindicato dos Servidores da Universidade de Pernambuco (Sindupe) havia protocolado pedido para que o assunto fosse discutido. Quem trabalha nos hospitais da UPE tem garantida, por lei, a gratificação de desempenho nos afastamentos por férias e licença-prêmio. O pleito é que a categoria receba também quando estiver de licença médica.

O Complexo Hospitalar da Universidade de Pernambuco é formado pelo HUOC, Procape e Cisam.

Na reunião também foram avaliadas as medidas necessárias para a manutenção dos serviços do Complexo Hospitalar diante do afastamento do trabalho por causa de doenças.